quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

OS EQUÍVOCOS CONCEITUAIS DA GABI GABRIELA E DA MÍDIA


No bate-papo realizado com Silas Malafaia, que foi ao ar no último domingo, a Jornalista  Marília Gabriela Baston de Toledo Cochrane demonstrou alguns equívocos, ao meu ver, graves.

    1 -    EQUÍVOCO NA DINÂMICA DO RELACIONAMENTO ENTRE PAI E FILHO – O pastor Silas Malafaia disse que, se tivesse um filho Gay, ele o amaria, porém discordaria do seu comportamento. Imediatamente Gabi, como é chamada a apresentadora, disse que ele iria transformar a vida do filho em um inferno.
Este argumento é próprio de pessoas que não aceitam discordância, e por não aceitarem, também não discordam dos outros. Para essas pessoas a discordância gera um tremendo problema emocional, elas ficam irritadas com o diferente, por isso, ESSAS PESSOAS PROJETAM NOS OUTROS SEUS INCÔMODOS COM A DISCORDÂNCIA QUE PERTENCEM SOMENTE A ELAS.
Discordar dos filhos não é torna a vida deles um inferno, somente se eles forem rebeldes, mas nesse caso, eles é que tornam suas vidas um inferno. A Bíblia manda os filhos honrarem e ouvirem seus pais e dá autoridade aos pais para que eles se posicionem contra os erros de seus filhos. “ouvi, filhos, a instrução do pai; estai atentos para conhecerdes a prudência.” Provérbios 4.1.
Uma afirmação desta natureza da jornalista Gabriela é prejudicial, pois influencia os  pais inseguros, que têm medo de se posicionarem contra os erros dos seus filhos e gera mais insegurança ainda nesses pais.
2 - DESCONHECIMENTO TOTAL DE DEUS – Ao afirmar “Que o meu Deus, que eu não sei se é o seu, te perdoe”, Marília Gabriela mostrou que não tem conhecimento sobre Deus, pois:
Ela insinuou que o comportamento do pastor Silas Malafaia era pecado e estava desonrando a Deus. Ora meu Deus, Desde quando se posicionar contra certos temas é pecado?
Ela deixou insinuar que o deus dela não concorda com o pastor Silas Malafaia, nesse caso, pergunto: O “deus” dela concorda com o homossexualismo? Que pessoas sejam presas por discordar do homossexualismo como prevê a PL 122?
3 - DESCONHECIMENTO DO SIGNIFICADO DA PALAVRA “PRECONCEITO”- Ficou claro que ela discorda, veementemente, do fato de o pastor Silas Malafaia discordar da postura do movimento gay. É preciso deixar claro que muitas pessoas, no Brasil, se utilizam de uma palavra para tentar por um ponto final no debate: “preconceito”. Para essas pessoas, ser contra o homossexualismo é ser preconceituoso e isso tem influenciado a mídia. Como resultado, as pessoas ficam com medo de se posicionarem pois não querem ser consideradas, pela sociedade, como preconceituosa. Isso é um grande erro pois, se discordar é ser preconceituoso, então Deus é preconceituoso, pois ele é o primeiro a discordar de nossos erros. Nesse caso o Governo brasileiro é preconceituoso pois discorda das drogas, das bebidas nas estradas, e persegue quem não respeita a Lei.
É preciso entender que é possível discordar das pessoas e respeitá-las, ao mesmo tempo, amá-las. O problema é que a maioria da sociedade tem sentimento de cristal, pois foi criada sem receberem não dos pais, sem limites, logo, essa maioria se ressente contra todas as oposições ideológicas.

4 - ACHAR QUE O MOVIMENTO GAY TEM MAIS VALOR E DIREITO DO QUE OS RELIGIOSOSEstá claro que, quando a mídia fala sobre homossexualismo, aborto, etc, ela se comporta como se os defensores desses temas estivessem com a verdade e todos os que discordam estivessem errado. ISSO SIM É PRECONCEITO.  Em vez de os jornalistas serem imparciais, eles se posicionam, claramente, contra os conservadores e a favor dos liberais.

5 - FALSO CONCEITO DA PALAVRA “LIBERDADE” Reconheço que os gays têm direito para defenderem seus temas. Porém a mídia não pode negar o fato de que quem discorda dos argumentos do movimento LGBT também devem se posicionar. Se isso não acontece, o conceito de liberdade constitucional, no Brasil, estará sepultado.

6 - DESCONHECIMENTO DA ABRAGÊNCIA DOS TEMAS COMO HOMOSSEXUALISMO E ABORTO – Esses temas não são alvo somente do direito, mas alvo da Psicologia, da Teologia, da Ciência das Religiões, da Antropologia, da Ética, da Sociologia, da Filosofia, pois há questionamento, etc. A mídia só olha o lado do Direito e quer anular todos outros debates, o que, ao meu ver,  é mediocridade, infantilidade jornalística. O debate sobre esses temas é saudável e democrático.

7 - DESCONHECIMENTO DE QUE O CONGRESSO É DE TODOS- A maioria dos brasileiro não são gays nem concordam com o homossexualismo. Querer impedi-los de se posicionar no Congresso Nacional em defesa de seus ideais, é desconhecer que O CONGRESSO É A CASA DE TODOS OS BRASILEIROS, e não somente dos gays. Que eles aceitem debater, aceitem ser questionado e respondam as perguntas que lhes forem enviadas em vez de se esconderem por trás das palavras “preconceito”,  “homofobia.” Isso é infantilidade, é ter um sentimento de cristal.

8 - FALSO CONCEITO DA INFLUÊNCIA DA RELIGIOSIDADE – Geralmente os gays e a mídia liberal afirmam que não se pode colocar a religião para debater esses temas. Ora, meu Deus do céu, falei, no tópico 6, que os temas aqui mencionados fazem parte de uma ampla gama de disciplinas. Não tem como anular a influência religiosa e ética do ser humano só porque há um componente político. Isso é anular o ser humano enquanto ser. A religiosidade, que vem antes da religião, influencia o ser humano onde ele estiver e atuar, não tem como fugir disso. Só os animais não têm essa influência, mas os seres humanos são intrinsecamente filosófico e religioso.

9. MISTURAR O RELATIVISMO CULTURAL COM A MUDANÇA NA ÉTICA - Em certo momento, na entrevista com o pastor Malafaia, Gabi disse: "mas a sociedade mudou." Será que ela não compreendeu que nós, cristãos, não nos baseamos nas mudanças sociais e culturais para basear nossa ética? Ela não entendeu que a Ética é transcendente, e para nós não muda com o relativismo cultural e o liberalismo ético. 
10.    O QUE O MOVIMENTO LGBT DEVE FAZER?  Aceitar debater, com argumentos; anular, com argumentos convincentes e coerentes, as teorias contrárias; não lutar contra a liberdade dos que discordam, como por exemplo, impedir que psicólogos direcionem seus clientes a deixarem suas práticas sexuais antibíblicas. ISSO SIM  É PRECONCEITO, DEMOCRATIOFOBIA, o que não podemos tolerar.  
11 - O QUE OS RELIGIOSOS, ESPECIALMENTE OS EVANGÉLICOS DEVEM FAZER?  Uma grande dificuldade do ser humano é discordar de algo sem ressentimento. Mas a bíblia deixa claro que os crentes devem, a todo o custo, pregar contra os erros, defender os temas éticos, e, muito mais do que isso, RESPEITAR E AMAR, INCONDICIONALMENTE, AS PESSOAS, OS GAYS, AS LÉSBICAS, OS DROGADOS, ETC, pois eles são pessoas, e pessoas têm corpo, alma e espírito, por isso tem mais valor do que todo e qualquer debate. 

Concluo com Romanos 5.5 que diz:" porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado" . Esse texto anula os argumentos daqueles que acham impossível discordar e amar ao mesmo tempo. É possível, sim, pois o amor, nesse contexto, não é resultado de vontade própria nem do intelectualismo humano, MAS DO PRÓPRIO ESPÍRITO DE DEUS QUE MORA EM SEUS SERVOS. 

OBS: TODOS AQUELES CUJA BASE IDEOLÓGICA É O LIBERALISMO, JAMAIS ACEITARÃO QUE A ÉTICA COMO REFERENCIAL PARA SUAS AÇÕES. 


Nenhum comentário:

QUERO COMPRAR O LIVRO DECIFRANDO OS CÓDIGOS DO MAL

Código para o site