quarta-feira, 29 de junho de 2016

ENQUETE 03 – A BÍBLIA FECHADA NÃO É UM LIVRO COMUM, E PRONTO

ENQUETE 03 – A BÍBLIA FECHADA NÃO É UM LIVRO COMUM
            No meu face apresentei a seguinte enquete:
ENQUETE 03 - Prezados irmãos e amigos, graça e paz. Muitos pregadores afirmam que : "A BÍBLIA FECHADA É UM LIVRO COMUM, PORÉM ABERTA ELA É A BOCA DE DEUS." Esta afirmação está correta? É 100% bíblica? Tem textos bíblicos que confirmem esta afirmação? O que vocês pensam sobre isso? Seguem as opções para vocês comentarem:
1) SIM, ESTÁ 100% CORRETA.
2) NÃO ESTÁ CORRETA. É UMA HERESIA. 
3) NÃO É HERESIA, MAS É UM PENSAMENTO EQUIVOCADO. 
4) A PRIMEIRA PARTE DA AFIRMAÇÃO ESTÁ ERRADA. A SEGUNDA ESTÁ CORRETA.
O que vcs acham disso?

            Alguns responderam que sim, a Bíblia fechada é um livro comum, mas ela aberta, no momento da pregação, é Deus falando com o povo. Porém, a maioria discordou dessa opinião e afirmou que a Bíblia, fechada ou aberta, é a boca de Deus.
            Para que essa resposta seja esclarecedora, é importante que nós conheçamos a origem das afirmações que fazemos no meio evangélico. De onde surgiu o ensino de que a Bíblia fechada é um livro comum, mas aberta é a boca de Deus? Vamos à história.

            INSPIRAÇÃO VERBAL E PLENÁRIA -  Por essa teoria, a Bíblia é totalmente inspirada por Deus, palavra por palavra, e nela não há incoerência. Por incoerência, entenda-se: PENSAMENTOS QUE SE CONTRADIZEM. NINGUÉM, NENHUM ATEU, NENHUM CRÍTICO DA BÍBLIA PROVOU UMA INCOERÊNCIA NA BÍBLIA SAGRADA.

            Os textos usados pelos adeptos dessa teoria são:
            2 Tm. 3.16,17 – “Toda a Escritura é divinamente inspirada ...”
2 Pd. 1.20,21 – “...nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. .. mas os homens santos da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.”
Hb. 1.1,2 – “Havendo Deus outrora falado muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho.”
            A aceitação da inspiração plena da Bíblia foi quase que total, até os séculos XVII e XVIII.

            O ILUMINISMO, O RACIONALISMO, O HUMANISMO -  Nos séculos XVII e XVIII despontaram, na Europa, o iluminismo, o racionalismo, o humanismo. As pessoas ficaram mais críticas, mais racionais. (pelo menos nos círculos acadêmicos). A racionalidade atingiu, em cheio, a Teologia, e como consequência surgiu a chamada TEOLOGIA LIBERAL – que mexeu com as bases da TEOLOGIA CONSERVADORA ORTODOXA.  
            Foram os teólogos liberais que afirmaram que a Bíblia não era totalmente Palavra de Deus, que ela era um livro cultural e tinha o mesmo valor que qualquer livro nas bibliotecas.

            A REAÇÃO AO LIBERALISMO TEOLÓGICO -  Como podemos observar, de um lado estavam os teólogos conservadores, que defendiam a inspiração plena da Bíblia Sagrada, e do outro lado os teólogos liberais, que não aceitavam a Bíblia como um livro inspirado. Como resolver esse impasse? Foi aí que entrou em ação os teólogos neo-ortodoxos, ou neo-conservadores.

            A TEOLOGIA NEO-CONSERVADORAOs teólogos neo-conservadores  não aceitavam, totalmente, os pensamentos dos conservadores, pois havia muito radicalismo. Eles também não aceitavam, totalmente,  os pensamentos liberais. Eles tinham  um misto de conservadorismo e liberalismo.
            Sobre a inspiração da Bíblia, os teólogos neo-conservadores tentaram unir os pensamentos conservadores com as ideias liberais. Foi aí que surgiu a teoria cuja ideia principal é: “A BÍBLIA TORNA-SE PALAVRA DE DEUS À MEDIDA QUE ELA É LIDA E PRATICADA PELO CRENTE. DESSA MANERIA, O QUE ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA TORNA-SE REAL NA VIDA DO CRENTE LEITOR.”

            Foi baseando-se nessa ideologia neo-ortodoxa que surgiu o pensamento: A BÍBLIA FECHADA É UM LIVRO COMUM, MAS ABERTA É A BOCA DE DEUS. Como podemos ver, não foi nas alas conservadoras que surgiu esse pensamento. De acordo com essa ideia, se a Bíblia estiver fechada, ela é como qualquer outro livro, porém, se tiver aberta, a coisa muda de figura, pois ela começará a operar na vida das pessoas. É esse pensamento verdadeiro? Sobre isto vejamos o que a professora de Exegese da Esteadeb de Recife, PE, Azenate Basílio, escreveu:

            “No meu entendimento, a afirmação não está 100% correta, ou seja, a primeira parte (A BÍBLIA FECHADA É UM LIVRO COMUM) não condiz com a realidade e não contempla a trajetória deste livro, que é singular, em toda a história da humanidade. São 66 livros, escritos em épocas distintas umas das outras, por diversos autores de variados níveis educacionais, em posições políticas, religiosas e sociais diferentes uns dos outros, mas que coadunam em uma unidade doutrinal e de princípios jamais encontrada em outra escritura secular ou religiosa. Compará-lo a um livro comum, mesmo estando encerrado em suas páginas, é negligenciar ou diminuir a sua importância como obra inspirada pelo próprio Deus! É uma tentativa tosca e errônea de dessacralizar o Sagrado! E a Bíblia, como Livro Sagrado, merece local de destaque e respeito em nossas casas, em nossas igrejas e, principalmente, em nossas vidas! Quanto à segunda afirmação, de fato, ela está correta quando diz que a Bíblia ABERTA (sendo lida) É A BOCA DE DEUS (falando sobre Si mesmo e sobre o Seu relacionamento com os homens e o universo por Ele criado). Em suma, a Bíblia é a vontade revelada do Deus Criador que foi transmitida à humanidade, para lhes servir de bússola e instrução nos caminhos da vida. Então, Este não pode ser um livro qualquer, pois "vale a soma total de todos os demais livros que já foram publicados" (Patrick Henry), conquanto, "A Bíblia é a declaração mais verdadeira da alma do homem jamais escrita. Por meio dela, como que através de uma janela aberta por Deus, todos podem penetrar a quietude da eternidade e discernir, em vislumbres, seu lar muito distante,..." (Thomas Carlyle). Encerro com as palavras de mais um renomado escritor cristão, Henry H. Halley, sobre a Bíblia. Para ele, Este Livro "permanecerá sendo a única e exclusiva resposta às indagações da humanidade na busca por Deus". Eu creio nesta verdade!"
           
            A professora Azenate está corretíssima. A Bíblia fechada ou aberta é Palavra de Deus. Aqui poderíamos falar sobre as provas externas e internas da inspiração das escrituras, porém me aterei a falar sobre O CARÁTER PROFÉTICO DA BÍBLIA SAGRADA.

            O CARÁTER PROFÉTICO DA BÍBLIA SAGRADA -  Por caráter profético, me refiro às centenas de profecias que há  em todas as páginas da Bíblia Sagrada. SE ELA FOSSE UM LIVRO COMUM, SUAS PROFECIAS NÃO TERIAM SIDO CUMPRIDAS, POIS, SOMENTE QUEM TEM O CONTROLE DA HISTÓRIA PODE FALAR SOBRE ACONTECIMENTOS, MILHARES DE ANOS ANTES, E PODE FAZER COM QUE A PROFECIA SE CUMPRA NOS MÍNIMOS DETALHES.
            Chamo aqui a atenção para a seguinte realidade: nenhum livro sagrado de outra religião tem profecias. Desafio qualquer um a apresentar livros sagrados com a mesma quantidade de profecias que tem na Bíblia Sagrada, e com o cumprimento dessas profecias. Por que será que os livros de outras religiões não têm profecias? Eles são livros naturais, não têm o caráter supremo, do Deus Altíssimo. Somente um ser Onisciente poderia, sem medo de errar, rechear seu livro de profecias. Se a Bíblia não tivesse esse caráter sobrenatural, haverias provas do não cumprimento de suas profecias, e só isso bastaria para desacreditá-la e provar que ela é um livro comum. Porém, o que acontece é que há provas incontestáveis do cumprimento de muitas profecias bíblicas, como veremos, a seguir.
            A Bíblia é considerada um livro profético, (2 Pd.1.19-21;  Ap.22.10,18,19). A razão para isso é que ela repousa na autoridade divina e descansa a sua alegação de veracidade e autoridade sobre a profecia cumprida, (Dt. 18.21,22; Lc. 24.27).  Ela também é considerada um livro profético por causa da natureza de suas doutrinas: combatem o erro, defende a verdade, luta contra o pecado, repreende pessoas sem se importar com o gênero nem com a classe social. Ela também manifesta e declara as revelações divinas para o homem.

            PROFECIAS BÍBLICAS QUE SE CUMPRIRAM

            PROFECIA SOBRE E CONTRA TIRO – (EZEQUIEL 26.1-14). Essa profecia que foi proclamada em aproximadamente 595 a.C, falava sobre a destruição futura de Tiro. Tiro ficava situada em uma ilha, e era muito fortificada. Jamais tinha sido capturada. Porém a profecia se cumpriu, por etapas. Nabucodonoor cercou a cidade por 13 anos (585-572 d.C). Impelidos pela fome a cidade se rendeu e Nabucodonozor  a deixou em ruínas. Os versículos 4,5 e 12 que falavam da destruição total da cidade não se cumpriu  240 depois, na época do Império grego, liderado por Alexandre, o Grande. O exército de Alexandre fez, literalmente,  o que está escrito no verso 12:  Roubaram as riquezas e mercadorias e ainda derrubaram as muralhas e casas luxuosas. O que sobrou de pedras e entulhos, eles jogaram no mar. O resultado foi um aterro entre a ilha e o continente, que existe até hoje. Os versículos 13 e 14 se cumprem até hoje, pois a cidade nunca mais foi reconstruída.

            70 ANOS DE CATIVEIRO BABILÔNICOJeremias predisse que Judá seria levada (a tribo) para Babilônia, e serviria àquela nação por 70 ano, (Jr.25.11). Em 06, Nabucodonozor levou cativo, a primeira leva dos cativeiros, (Daniel 01). Em 539, Ciro, aliado a Dario, tomou a Babilônia, e Daniel percebeu que faltavam 03 anos para a profecia de Jeremias se cumprir, (Daniel 9.1-3). Ele, então, começou a orar pelo cumprimento da profecia.  Nesse mesmo ano, que era o primeiro ano de Ciro, o rei maior, Deus tocou no coração dele para que ele libertasse os judeus, (Ed.1.1-4). A preparação para a volta dos cativos, o tempo da viagem, durou aproximadamente 03 anos, assim, em 536 d.C, 70 após a primeira invasão de Nabucodonozor, os judeus estavam totalmente livres e grande parte deles em sua terra natal. A profecia de Jeremias se cumpriu, integralmente.

            PROFECIA SOBRE CIRO, CONTRA A BABILÔNIA – (Isaias 44.27 a  45.2) De acordo com os estudiosos, essa profecia foi dita entre 710-712 a.C. Ela predizia o surgimento de Ciro, rei da Pérsia, o conquistador da Babilônia.  173 anos depois ela se cumpriu, literalmente. Ciro capturou Babilônia, e desviou as águas do rio que circundava Babilônia, cumprindo-se, assim, Is. 44.27. Is. 13.19-22 fala sobre a destruição da Babilônia.

            PROFECIAS MESSIÂNICAS E SEUS CUMPRIMENTOS   - As profecias sobre Jesus, no Velho Testamento, são específicas e detalhadas. Elas dizem que o messias nasceria de uma virgem, (Is. 7.14); Ele seria da linhagem de Jessé, pai de Davi, (Is. 11.1), etc. Vejamos algumas profecias sobre Jesus e o cumprimento delas:


            PROFECIA
OBS. DATA DA PROFECIA
CUMPRIMENTO
Humilde – Zc. 9.9.
520 anos antes do cumprimento.
Jo. 12.12,13.
Vendido por 30 moedas – Zc. 11.12,13.
520 anos antes do cumprimento.
Mt. 26.15.
Desfigurado, maltratado – Is. 52.14.
745 anos antes do cumprimento.
 Mt.26.67,68.
Ferido – Is. 53.5,10.
745 anos antes do cumprimento.
Mt.27.27-30.
Transpassado na morte – Zc. 12.10; Is. 53.8,9.
520 anos antes do cumprimento.
Jo.19.37; Mt.27.57-60.
Suas vestes repartidas na crucificação – Sl. 22.18.
1000 anos antes de se cumprir.
Mc. 15.24.
Os malfeitores – Is. 53.12.
745  anos antes do cumprimento.
Mt.27.38.
O silêncio de Cristo – Is.53.7.
745  anos antes do cumprimento.
Mt.26.62,63.
A traição de Judas – Sl. 41.9.
1000 anos antes do cumprimento.
Mc. 14.10.
A rejeição do seu povo – Sl. 118.22,23.
1000 anos antes do cumprimento.
Mt.21.42.

MAIS PROFECIAS E SEUS CUMPRIMENTOS

PROFECIA
DATA
CUMPRIMENTO
DATA DO CUMPRIMENTO
Mq 5.2.
710 a.C.
Lc. 2.04.
5.a.C.
Is.44.28.
712.a.C.
Ed. 1.1,2.
536 a.C.
Is.61.1-3.
698. a.C.
Lc. 4.17-21.
30 d.C.
Nm. 24.17.
1452 a.C.
Mt.2.
4.a.C.
Is. 9.2.
740 a.C.
Mt.4.12-16.
30 d.C.

CONCLUSÃO –  As profecias bíblicas e o cumprimento delas provam o caráter sobrenatural da Bíblia Sagrada. As profecias bíblicas  não são alvo dos estudos dos críticos das sagradas escrituras. Por medo? Por falta de interesse? Bem, eles têm suas razões. Uma coisa é certa, esse estudo mostraria à maioria dos críticos da Bíblia que ela é um livro transcendente, sobrenatural, verdadeiro, eterno e eficiente na vida das pessoas. Aleluias!

          DIANTE DO QUE FOI DITO, AFIRMO:

A BÍBLIA, FECHADA OU ABERTA, É A PALAVRA DE

 DEUS. ELA NÃO É DIMINUÍDA SE ESTIVER

FECHADA, NEM É VALORIZADA SE ESTIVER ABERTA.


OBS: A teoria da enquete é incoerente, hoje, principalmente diante dos aparelhos eletrônicos. Há Bíblias em Tablets,  celulares, etc. Se esses aparelhos estiverem desligados a Bíblia perdeu sua eficiência? Ela só será eficiente se os aparelhos estiverem ligados? Pense nisso. 


NÃO DEIXE DE LER AS ENQUETES ABAIXO. É SÓ CLICKAR NOS LINKS. 


ENQUETE 01 - OS DOGMAS DA IGREJA X A TEOLOGIA BÍBLICA



João Moreno de Souza Filho.
Prof. Escritor, Evangelista. 
jmorenofilho@yahoo.com.br
zap (19) 9 8324-6484


segunda-feira, 20 de junho de 2016

ENQUETE 2: ACÃ, ANANIAS E SAFIRA X DAVI - RESPOSTA

ENQUETE: DAVI X ACÃ, ANANIAS E SAFIRA

TEXTOS: Josué 7; 2 Sm. 11 e 12; Salmos 31; 32; 38; 51; Atos 5.1-11.

Ananias e Safira mentiram, e por isso morreram. Acã escondeu uma capa babilônica, morreu. Davi, o maior rei de Israel, COBIÇOU, ADULTEROU, ABUSOU DO PODER, MATOU, MENTIU, ROUBOU A MULHER DO PRÓXIMO, PORÉM NÃO MORREU. As perguntas são:
1) Deus amou mais Davi do que Acã, Ananias e Safira?
2) A justiça de Deus é relativa, ele pune de acordo com a posição?
3) Acã, Ananias e Safira, comparados com Davi, foram injustiçados?
4) Como conciliar esses exemplos com a justiça pura, santa e perfeita de Deus?
5) Quais eram as características, as virtudes, que diferenciavam Davi de Acã, Ananias e Safira?

O pecado de Davi é um dos mais conhecidos em todo o mundo, não só pela sua gravidade, mas, principalmente pelo enfoque que a Bíblia dá a ele nas histórias sobre esse grande rei, e nos Salmos. A gravidade do pecado davídico se deve ao fato de que ele, como rei, tendo mulheres à sua disposição, cobiçou e adulterou com uma mulher de um de seus leais soldados. Além disso ele escondeu o pecado, abusou do poder (criou um plano para matar Urias, marido de Bateseba), assassinou, levou seu capitão, Joabe, a pecar, ou seja, DAVI FOI CRUEL.
Na Bíblia há outras pessoas que cometeram pecados, como Acã, que  roubou uma capa babilônica, de Jericó; Ananias e Safira, que mentiram sobre o preço do bem vendido, diante dos apóstolos. Esses três personagens morreram em decorrência do pecado.
É aqui que surge um grande questionamento: COMO DAVI, QUE COMETEU UM PECADO MUITO PIOR, MAIS GRAVE  DO QUE O PECADO DE ACÃ, ANANIAS E SAFIRA, (ALIAS, DAVI COMETEU VÁRIOS PECADOS), NÃO MORREU, PORÉM OS TRÊS PERSONAGENS, CITADOS ACIMA, MORRERAM?
Muita gente, aproveitando essa comparação, acusa Deus de injustiça, outros apontam para a soberania de Deus, etc. Bem, vejamos algumas respostas apresentadas para explicar o fato de Davi não ter tido um castigo tão grande como tiveram Ananias e Safira, e Acã.
1)      DAVI ERA UM ADORADOR NATO, E ISSO FOI UM DIFERENCIAL.
2)      DAVI SE ARREPENDEU, ENQUANTO QUE ACÃ, ANANINAS E SAFIRA NÃO SE ARREPENDERAM.
3)      DAVI ERA HUMILDE, ENQUANTO QUE ANANIAS E SAFIRA, E ACÃ, NÃO TINHAM ESSA VIRTUDE.
4)      DAVI NÃO PODERIA MORRER, POIS DE SUA DESCENDÊNCIA VIRIA O MESSIAS.
5)      SOBERANIA DIVINA, E SOBERANIA DIVINA NÃO SE DISCUTE.
VAMOS ÀS MINHAS CONSIDERAÇÕES SOBRE CADA UM DESSES ARGUMENTOS.
6)      ACÃ QUEBROU UM MANDAMENTO DIVINO, E POR SUA CAUSA MILHARES DE PESSOAS  MORRERAM, NA GUERRA...

Agora vamos às minhas considerações sobre os pontos acima:

1)      NÃO FOI POR CAUSA DA ADORAÇÃO ­ - Afirmar que Davi não morreu porque ele era um verdadeiro adorador, é um argumento bonito, que exalta a adoração. Porém, não tem respaldo bíblico, pelas razões elencadas abaixo:
a.       Não há relação entre o louvor e o perdão de pecados. A bíblia não manda o pecador louvar para ser perdoado.
b.      Tem muita gente que usa o louvor, nas liturgias, para “compensar” suas falhas, seus pecados. Essa é uma ação psicológica que faz a pessoa se sentir bem, MAS NÃO TOCA O CORAÇÃO DE DEUS.
c.       A afirmação de que o louvor de Davi foi condição para seu perdão, gera um enorme peso para quem não louva. Dá a entender que, quem louva, receberá mais misericórdia de Deus do que aqueles que não louvam.
d.      É preciso entender que, se uma pessoa que louva, adora, não se arrepender dos seus pecados, não será perdoada. Uma pessoa que não louva, se ela se arrepende dos seus pecados, ela será perdoada. O perdão divino se baseia em Deus, em sua misericórdia, seu amor, suas leis, e é estendido aos que se humilham e se arrependem, e esse ato (o de perdoar), não exige louvor, mas somente conversão e arrependimento.

2)      DAVI NÃO SE ARREPENDEU ABERTAMENTE -  Observemos que quando o profeta Natã foi repreender Davi, o menino, fruto do adultério, já havia nascido. Mais de 10 meses do pecado de Davi. O PRÓPRIO DAVI DISSE QUE SE CALOU, NÃO CONFESSOU SEU PECADO:Enquanto me calei, envelheceram os meus ossos,” (Sl. 32.3).

3)      SOBRE A SOBERANIA DE DEUS ­– Afirmar que a SOBERANIA DE DEUS NÃO SE DISCUTE, é fechar a porta para análise, e isso é anti-intelectualismo. Por trás dessa afirmação está implícito o seguinte pensamento: Acã, Ananias e Safira morreram por causa da soberania de Deus, Davi foi perdoado na soberania divina. Bem, não é correto jogar pecado e arrependimento para a soberania de Deus. Os homens são responsáveis pelos seus atos, erros e pecados, e também é o homem que deve se arrepender e se converter. Usar a soberania de Deus, nesse contexto, é agir fora de propósito.

5)      SOBRE O FATO DE ACÃ NÃO TER SE PREOCUPADO COM O MANDAMENTO DIVINO -  Davi também quebrou a Lei, que dizia “não adulterarás”, “não matarás”. Ele não se preocupou com Urias, o marido de Bateseba... Assim como Ananias, Safira e Acã, Davi foi leviano e quebrou a Lei divina.

Como percebemos, não é fácil resolver esse problemão. Essa complicação piora se formos analisar os pecados dos quatro personagens, pois, perceberemos, que todos eles foram pecados graves. Acã tocou em coisa proibida e levou abominação para o arraial santo; Ananias e Safira mentiram ao Espírito Santo, esconderam o preço da herdade vendida para não dar a oferta completa; Davi adulterou, ...já falamos sobre seu pecado.

SOBRE A JUSTIÇA DIVINA -  De acordo com a professora Azenate Basílio, de Recife, PE, “A justiça (punitiva) de Deus é um atributo moral e diz respeito ao tratamento que Deus dá aos seres criados, em virtude da desobediência destes para com as suas leis! Ela (a justiça) exige castigo, mas também aceita o sacrifício substitutivo de outrem!” De acordo com este pensamento, podemos afirmar que tanto Ananias e Safira, Acã, e Davi, mereciam, de acordo com a justiça divina, um julgamento, e todos eles foram julgados, agora, em medida diferente, por que? Sobre isso falaremos abaixo sobre o radicalismo e o situacionismo dentro da aplicabilidade da justiça.

A APLICABILIDADE DA JUSTIÇA -  A justiça é a virtude que leva, o julgador, a dar a cada um aquilo que é justo. Assim, uma decisão judicial para alguém, pode ser injusta se for repetida para outra pessoa. Dessa foram, o julgador precisa analisara caso a caso, todos os pormenores, para chegar a um veredito. Dessa forma, podemos dizer, com toda a certeza, que não há ligação entre o julgamento divino para com Davi e o julgamento divino para com Acã, Ananias e Safira. São casos diferentes que envolveram pessoas diferentes. Falaremos sobre isso, mais a frente.
A aplicação da justiça não depende do que está escrito na Lei, somente, mas dos pormenores que envolvem o caso julgado. Por exemplo: Matar é crime e leva à cadeia, mas, se uma mãe mata um bandido que entra em sua casa e quer estuprar e matar sua filha de 14 anos, essa mãe não irá prisão, pois sua ação foi uma “legítima defesa.”  Assim, na aplicação da justiça é necessário analisar os antecedentes da pessoa que praticou o ato e como o praticou.

O RADICALISMO JUDICIAL Uma pessoa radical, do ponto de vista da aplicabilidade da justiça, iria mandar a mãe, referida acima, para a cadeia, pois ela matou um bandido. Porém, é necessário analisar a situação.

O SITUACIONISMO ­ - O situacionismo analisa os acontecimentos, isoladamente, sem aceitar influência de outros fatores. Assim, ao julgar Davi, Deus não deveria se basear em Acã, e ao julgar Ananias e Safira, Ele, como justo juiz, jamais se basearia em Davi. Em seu  julgamento ele analisa as situações, os motivos, o coração, as características internas do indivíduo que está sendo julgado. Sobre isso, a Bíblia é clara, em alguns textos:

“... com a medida com que medirdes, também vos medirão...” (Lc. 6.38).  Esse texto revela uma lei de Deus que é universal: se você for misericordioso, Deus será misericordioso com você. Se você não tiver misericórdia, Deus não terá misericórdia de você. Isso está claro na oração do “pai nosso”, onde encontramos a informação de que Deus não perdoará quem não perdoa, (Mt. 6.14,15).

MT. 18.23-35 deixa claro que o juízo divino leva em consideração, NÃO SOMENTE O ARREPENDIMENTO, MAS TAMBÉM A MANEIRA QUE TRATAMOS OS OUTROS.  Observa-se, no texto, que um homem teve a dívida perdoada pelo seu senhor, porém não perdoou a dívida de um dos seus conservos. Indignado, o senhor que perdoara a dívida, o chamou e o enviou para ser castigado. No final do texto Jesus disse: “Assim vos fará também meu Pai celeste, se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas”, (v.35).
Percebemos, no texto acima, QUE DEUS NÃO É RADICAL NA APLICAÇÃO DA JUSTIÇA. Ele age com misericórdia, com aqueles que são misericordiosos. Assim, Deus é absoluto em suas leis, em sua justiça, mas usa os princípios do situacionismo divino para julgar, e esses princípios levam em consideração: humildade, disposição para se arrepender da pessoa que será julgada.


COMPARANDO DAVI COM ACÃ, ANANIAS E SAFIRA

Como eu já falei, não quero analisar o pecado dos três personagens. Todos eles cometeram pecados graves. Analisarei, agora, as características de todos eles para entender os critérios que Deus usou para julgá-lo.

ACÃ -  O pecado de Acã não foi individual, mas coletivo. Ele foi acobertado por muita gente que o viu esconder os objetos que ele pecou de Jericó, objetos profanos. Por isso Deus disse a Josué: “Israel pecou...” (Josué 7.11).

DO PECADO DE ACÃ ATÉ A DESCOBERTA -  Desde o seu pecado até a descoberta da sua profanação, Acã viveu como se nada tivesse acontecido. Não encontramos, nele, atitude de arrependimento, humildade, incomodação com o pecado, tristeza, nada. ELE AGIU COMO SE TUDO ESTIVESSE BEM, MESMO VENDO AS CONSEQUÊNCIAS DE SEU PECADO, NA DERROTA CONTRA A CIDADE DE AI.

ANANIAS E SAFIRA -  Atos 5. - Eles bolaram  um plano e formaram uma dupla pecadora COM O INTUITO DE ENGANAR AOS APÓSTOLOS SOBRE O VALOR DA HERDADE. A atitude deles deixa claro que eles já tinham uma vida pecaminosa, de enganação. Eles decidiram, inclusive, o tempo em que cada um se apresentaria perante os líderes da igreja, para forjar que não sabiam de nada. Foram secos, arrogantes, cruéis, mentirosos, sabiam fazer estratégias para o mal. Mas, diante dos apóstolos, Deus deu um fim à uma vida de pecado.

DAVI -  A vida de Davi deve ser analisada desde sua infância:  um filho obediente, humilde, esforçado, que tinha fé em Deus, cuidava do rebanho com amor. Qualidades que o preparou para ser o maior rei de Israel. O pastor Claudinei, postou, na enquete, no face, as seguintes qualidades de Davi:
DAVI TINHA A MARCA DA OBEDIÊNCIA (I Sm.22:3/ I Sm.23,24:26 –
Davi não toca em Saul(Sl.105:15/I Sm.15:22) –
DAVI TINHA A MARCA DO AMOR (I Jo.4:8)
DAVI ERA HOMEM DE FÉ...Davi enfrentou Golias com a fé(I Sm.17:45
DAVI ERA UM HOMEM DE LIBERALIDADE Davi ofereceu algo para Deus que era valioso(I Cr.29:2), a liberalidade dele era um ato de esforço e em abundância(Sem mesquinhez) ..(24:4-5)
DAVI TEVE A MARCA DE UM ADORADOR...Não existe na bíblia um adorador como Davi e adorou a Deus de forma quebrantado(Sl.51:17)...ele amava a casa de Deus(Sl.122/27:4).....(I Cr.29:11)
De fato, a bíblia apresenta centenas de características de Davi que o colocam como um dos homens mais amáveis e humildes da Bíblia Sagrada.

DAVI E O SEU PECADO -  Falei, acima, que Davi não se arrependeu, totalmente, até ser confrontado pelo profeta Natã. PORÉM, DEIXEI PARA DIZER AGORA:  DAVI ESTAVA INCOMODADO PELO SEU PECADO, POR ISSO DEUS ENVIOU ATÉ ELE O PROFETA NATÃ.
Nos salmos 31, 32, 38, vemos como Davi sofreu com o seu pecado: ENTROU EM DEPRESSÃO, FICOU DOENTE, CHORAVA CONSTANTEMENTE, FOI ALVO DE ZOMBARIA. O salmo 40. 11-13 revela que Davi pediu o auxílio divino por causa de seus pecados.
Os salmos deixam claro que Davi foi punido, severamente, por Deus (Sl. 38.1-3). Ele reconheceu que enquanto não confessou o seu pecado, abertamente, a Deus, ele ficou doente, (Salmo 32.3).

O CONFRONTO COM O PECADO – (CONFESSO QUE ME EMOCIONEI, MEUS OLHOS LACRIMEJARAM, AO ANALISAR ESTA PARTE DESSE ESTUDO). Davi, quando foi confrontado pelo profeta Natã, REVELOU TODA A SUA JUSTIÇA CONTRA UMA INJUSTIÇA PRATICADA, (2 Sm. 12.5,6) . DAVI NÃO ACEITAVA INJUSTIÇA DE FORMA ALGUMA,  mesmo tendo praticado uma injustiça. MAS O QUE ACONTECEU COM UM REI, TÃO SANTO, QUE NÃO RECONHECEU QUE SEU PECADO TAMBÉM FOI UMA INJUSTIÇA? A resposta a essa pergunta pode ser: O poder, a fama, os elogios, o louvor do povo, os afazeres do cargo máximo. PODER, FAMA E ELOGIOS EMUDECEM A VOZ DO ESPÍRITO HUMANO E PODEM ENVENENAR UM HOMEM DE DEUS, LEVANDO-O A COMETER LOUCURAS, SEM SE APERCEBER DO ERRO.

A HUMILHAÇÃO DE DAVI ­ - Davi precisava, urgentemente, de uma ajuda de Deus, ainda que em forma de repreensão. Quando Natã disse-lhe: “TU ÉS ESTE HOMEM...” (2 Sm. 12. 7) – (MAIS UMA VEZ CHORO, NESSE MOMENTO). Davi não justificou o seu pecado, não racionalizou, mas disse: “ PEQUEI CONTRA O SENHOR,”  (2 Sm. 12. 13). Aqui cabe uma pergunta: COMO AGIRAM ACÃ, ANANIAS E SAFIRA DIANTE DO CONFRONTO AO  PECADO? Eles racionalizaram, não se humilharam, vejamos:

                ACÃ E O CONFRONTO COM O PECADO Acã reconheceu que pecou e fez um relato histórico. ELE NÃO HAVIA DESENVOLVIDO ATITUDES DE ARREPENDIMENTO, (Jos. 7.20,21).
                ANANIAS E SAFIRA E O CONFRONTO COM O PECADOEm Atos 5.8, Pedro perguntou a Safira o valor da propriedade. Foi uma chance que ele deu a ela para mudar de atitude, para falar a verdade. PORÉM ELA DEIXOU CLARO QUE ESTAVA DISPOSTA A IR ATÉ ÀS ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS DO SEU PECADO.

DAVI IA MORRERDeus não faz acepção de pessoas. Por isso Ele estava disposto a matar Davi. COM CERTEZA A LINHAGEM DO MESSIAS NÃO SERIA ATINGIDA, pois através dos filhos de Davi Deus poderia suscitar um descendente até o Messias. Como sei que Davi iria morrer? Após o seu arrependimento sincero, o profeta Natã disse: “O SENHOR PERDOOU O TEU PECAdO. NÃO MORRERÁS,” (2 Sm. 12. 13).

HOUVE MORTE -  Davi não morreu, mas a criança, fruto do adultério, morreu. Sem falar, aqui, das consequências negativas e dolorosas em sua família.

O SALMO 51 O salmo 51 é a mais profunda oração de arrependimento em toda a Bíblia. Nele está revelado a teologia de Davi sobre perdão, arrependimento, restauração. Em outro momento falarei sobre ele.

DAVI E OS ESTATUTOS DAS IGREJASNos estatutos das igrejas há penas, pré-fixadas para cada tipo de pecado. Porém, essas penas não resolvem o problema da complexidade das pessoas. Davi merecia morrer, pela lei, e não morreu. Isso deixa claro que A LEI ESCRITA NÃO DEVE SER USADA RADICALMENTE. ELA DEVE SER APLICADA, DE ACORDO COM CADA CASO. Assim,  se um crente tem uma vida leviana, é problemático, dá mal testemunho, já caiu em pecado várias vezes, ele merece, sim, a pena máxima prevista no estatuto. Porém, se um crente, com 40 anos de fé, nunca deu escândalo, tem frutos e bom testemunho, se ele pecar, NÃO É JUSTO QUE ELE TENHA A MESMA PENA QUE TEVE O CRENTE LEVIANO, APONTADO ANTERIORMENTE. Isso é injustiça. Precisamos pesar os deméritos e os méritos para podermos julgar. Precisamos aprender com Deus, o Justo Juiz.

O QUE APRENDEMOS COM O QUE FOI DITO ACIMA?
1)      O perdão de Deus é para todos. Mas ele só atinge aqueles que têm uma atitude sincera diante de Deus.

2)      Deus é misericordioso com quem age com misericórdia para com o próximo. QUEM PLANEJA, SEMPRE, DESTRUIR, AFASTAR, EXECRAR, PUNIR, DIMINUIR, NÃO TERÁ A MISERICÓRDIA DE DEUS QUANDO PRECISAR DELA. 
3)   As altas posições, a fama, os elogios, o poder, pode impedir o homem de Deus de analisar se sua ação é justa ou injusta, santa ou pecaminosa, foi o que aconteceu com Davi.
4) Assim como Davi, o crente fiel, que peca, sofre. É um sofrimento na alma, por ter pecado. Pode até entrar em depressão. Isso só será curado se houver contrição e arrependimento diante de Deus.

NÃO DEIXE DE CONFERIR A RESPOSTA À ENQUETE:

DOGMAS DAS IGREJAS X A TEOLOGIA BÍBLICA

Abraços a Todos. 

Prof. João Moreno de Souza Filho.

E-mail: jmorenofilho@yahoo.com.br
zap: (19) 9 8324-6484.

terça-feira, 14 de junho de 2016

ENQUETE 01 - OS DOGMAS DAS IGREJAS X A TEOLOGIA BÍBLICA



No meu face fiz uma pergunta que deixou muita gente matutando, de  cabelo em pé. Hoje darei minha resposta à pergunta. A pergunta foi:
SÓ UMA PERGUNTA PARA OS MEUS ALUNOS DO INEB, DO SETEPEB, DA COMUNIDADE VITÓRIA E PAZ, DOS PROFESSORES DE TEOLOLGIA AMIGOS MEUS DE PINDA, MOGI GUAÇU, MOGI MIRIM, E AGORA, DE RECIFE:
QUANDO A IGREJA USA A BÍBLIA PARA DEFENDER AS DOUTRINAS DENOMINACIONAIS E SEUS COSTUMES, ELA ESTÁ PRATICANDO QUAL TEOLOGIA?:

1) A Teologia Bíblica. 
2) A Teologia Sistemática.
3) A Teologia do N.T.
4) A TEologia do V.T.
5) A Teologia Dogmática.

            As respostas foram variadas. Algumas pessoas disseram que os costumes das denominações e suas doutrinas se baseiam na Teologia Bíblica, outros escolheram a Teologia Sistemática, e outros a Teologia Dogmática.
            Das respostas, destaco duas, a do pastor Claudinei, do Vale do Paraíba, SP, e da professora Azenate Basílio, de Recife, PE.

            Pastor Claudinei:
“Inicialmente parabenizo o meu nobre amigo pela interrogativa, lebrando que "Ignorância" se define como ausência de conhecimento(Os.4:6) e é dolorido como tenho visto besteiras pregoadas por pessoas que ao espiritualizarem tudo na vida, tem se tornado pessoas piscóticas, neuróticas e doentes emocionais(Nós somos o que a nossa mente diz que somos e em vez de procurarem a bíblia, procuram se apoiar em ensinamentos anti-bíblicos)A teologia dogmática é a parte da teologia cristã que trata, sistematicamente, do conjunto das verdades reveladas por Deus, isto é, do dogma e das verdades fundamentais a ele vinculadas, às quais se deve em primeiro lugar o assentimento da fé. Esta teologia está, em parte, englobada pela teologia sistemática...se sabemos que teologia sistemática, que engloba ramos como a teologia doutrinal, a teologia dogmática e a teologia filosófica, é a disciplina da teologia cristã que formula uma descrição ordenada, racional e coerente da fé e crenças cristãs eu diria que para defender as doutrinas denominacionais e seus costumes seria a teologia bíblica(Muitas vezes mau interpretada pelos ignorantes rs)”
  
Professora Azenate Basílio:

“A Bíblia pode ser utilizada de diversas maneiras!... E, comumente, Ela é usada como leitura "popular". Quando usamos a Bíblia para defender um princípio ético ou eterno, baseados em versículos espalhados por todas as Escrituras, estamos praticando a teologia bíblica, e se se referir a um dogma doutrinal, como a salvação em Cristã,à teologia dogmática. Porém, quando utilizamos um texto bíblico para afiRmar usos e costumes atuais de um determinada igreja local, sem respaldo em outros textos bíblicos de mesmo valor nas Escrituras, estaremos praticando heresias, pois "um texto fora do seu contexto se torna um pretexto para uma heresia!" ...Deus continue te abençoando, professor! Até mais!”

          AGORA VAMOS À MINHA RESPOSTA – Espero que você, leitor, não acrescente nada ao que eu escrever. Se você pensar que eu disse algo que não está escrito aqui, assuma como teu pensamento.

          NÃO É A TEOLOGIA BÍBLICA  - Quem defende costumes de igrejas e doutrinas denominacionais, ou seja, aquilo que a denominação pensa, não pratica a teologia bíblica. A TEOLOGIA BÍBLICA SE BASEIA, DE MANEIRA PURA E SIMPLES, AO QUE ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA. A BÍBLIA NÃO SE POSICIONA POR COSTUMES DENOMINACIONAIS, NEM POR DOGMAS DAS RELIGIÕES CRISTÃS. Se assim o fosse, ela teria que se posicionar por uma denominação, escolher qual seria o costume mais santo, mais sagrado. Diante disso temos a seguinte lição: Os costumes denominacionais, as liturgias, os dogmas das igrejas, não estão acima da Bíblia. Qualquer igreja que tratar seus membros baseando-se nos costumes denominacionais, foge da Bíblia, logo, foge dos pensamentos do próprio Deus da Palavra.

          NÃO É A TEOLOGIA DO N.T. NEM A TEOLOGIA DO A.T. – A Teologia do A. T. baseia-se dos livros canônicos do A.T. para extrair seus ensinos. A Teologia do N.T. se baseia nos 27 livros canônicos para extrair seus fundamentos. O Teólogo do N.T. não pode extrapolar as informações do N.T. para, com isso, fundamentar suas ideias. Os pensamentos, os ensinamentos do teólogo, do professor, do pastor, devem estar “colados”, enraizado, de maneira profunda, aos escritos dos apóstolos, de Cristo, presentes no N.T. Usar o N.T. para defender costumes de homens, de regiões, de denominações, É FUGIR DO PROPÓSITO ORIGINAL E SANTO DO N.T.

        NÃO É A TEOLOGIA SISTEMÁTICA - A Teologia Sistemática sistematiza as doutrinas bíblicas, visando um melhor aprendizado do estudante. Nela estudamos Angeologia, Soteriologia, etc. Jamais se estuda, em TH.Sist. doutrinas e costumes de denominações. 

          Só nos resta uma alternativa: A TEOLOGIA DOGMÁTICA

A palavra grega  “dogma”, significando, originalmente, “opinião” ou  “juízo”, “crença”.

          De acordo com R.N. Champlin, “a Teologia Dogmática, como um sistema, começa pela Teologia Bíblica, mas nunca termina aí.  Uma pare do dogma consiste em interpretação, o que significa que as diversas denominações cristãs conseguem derivar das Escrituras diferentes dogmas...” (Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, São Paulo: Hagnos, 2001, VL D-G).

          Concordo com esse pensamento de Champlin sobre a Teologia Dogmática, e por isso defendo a ideia de que a Teologia Dogmática, mesmo com toda a sua importância, não é 100% Bíblica.

          Na verdade, o ato de fazer teologia é humano, assim, teologizar é uma ação do estudante, do teólogo para compreender as a Escrituras Sagradas e seus ensinos. Nessa ação, cada um pode ter a sua interpretação. Mas não nos esqueçamos: “NENHUMA INTERPRETAÇÃO HUMANA TEM MAIS VALOR DO O QUE ESTÁ ESCRITO NAS SAGRADAS ESCRITURAS.” Se eu estou falando alguma heresia, aqui, que me combatam, com textos bíblicos.

Precisamos entender que “A Bíblia é a fonte primária da teologia dogmática. Porém, a teologia dogmática, em seu resultado final, não é totalmente bíblica, pois o teólogo trilha por caminhos extrabíblicos: evidências culturais, religiosas, históricas, científicas, com o objetivo de melhor entender a verdade bíblica. Nesses caminhos, encontramos, como resultado final:
·         Verdades bíblicas: Conclusões da teologia dogmática que são bíblicas.
·         Verdades extrabíblicas – Conclusões da teologia dogmática, que são verdadeiras, porém não são integralmente bíblicas.
·         Pensamentos humanos – Pensamentos de teólogos que são bons, aproveitáveis, porém não são bíblicos.
·         Pensamentos antibíblicos – Conclusões que contradizem a Bíblia.” (João Moreno de Souza Filho, Teologia do N.T., 2016.)
·         “PROBLEMA NA TEOLOGIA DOGMÁTICA -  Um dos grandes problemas da teologia dogmática é o uso da Bíblia para a defesa de dogmas já estabelecidos. Essa ação faz com que o estudante, o cristão, fuja do terreno bíblico puro e simples e viva nas vielas dos pensamentos humanos. Isso era comum na Idade Média, época na qual a Igreja Católica usava a Teologia Bíblica para sustentar seus dogmas, suas doutrinas.” (João Moreno de Souza Filho, Teologia do N.T.2016.)

 Diante do que falei, a resposta à pergunta “QUANDO A IGREJA USA A BÍBLIA PARA DEFENDER AS DOUTRINAS DENOMINACIONAIS E SEUS COSTUMES, ELA ESTÁ PRATICANDO QUAL TEOLOGIA?” é TEOLOGIA DOGMÁTICA.

Só para vocês terem uma ideia do que falo, faço algumas perguntas sobre os costumes em muitas igrejas:

1)      Qual texto bíblico dá base para um pastor proibir os jovens namorados de pegarem na mão? (isso existe em algumas cidades).
2)      Qual texto bíblico diz que teatro na igreja é pecado? (Isso existe em igrejas mais radicais).
3)      Qual texto bíblico diz que mulher andar de bicicleta, de saia, está pecando contra Deus e que por isso não entrará no céu? (Isso acontece em algumas cidades do Brasil).
4)      Qual texto bíblico diz que ...Podem continuar perguntando.

EU SOU CONTRA OS COSTUMES DENOMINACIONAIS?

Não. Eu sou conservador com relação aos usos e costumes. Porém eu não sacralizo meus costumes nem acho que eles são mais santos do que os de outras denominações. O erro não é ter costume. O erro é ter costume e rejeitar o próximo, porque é diferente, criticar outras igrejas, como se Deus não estivesse nelas..ISSO É FRUTO DA DOGMÁTICA e não da teologia bíblica que defende o amor.

OBS:  Não me critique se não atendi a tua expectativa. Eu fui chamado para o ministério do ensino para levar o povo de Deus à reflexão bíblica, há mais de 30 anos,quando ainda era adolescente, em Maceió, AL. Sejamos mais biblicistas, pois um avivamento só vem quando estamos “colados” à bíblia. Só me critique se eu, nesse artigo, feri algum texto sagrado, fui de encontro, de maneira clara, a algum ensinamento bíblico. Pergunte-se para você mesmo: Alguma vez eu já usei a Bíblia para defender o que não é bíblico? Essa ação é santa? Deus concorda que usemos a bíblia para defender o que não está em sua Palavra? Essa reflexão, bem feita, eliminará muitas brigas denominacionais entre muitos crentes, especialmente entre os conservadores, os ultraconservadores, os neoconservadores, etc.  

Um abraço a todos.

Prof. João Moreno de Souza Filho.
            WhatsApp (19) 9 8324-6484