quarta-feira, 1 de novembro de 2017

A REFORMA E OS MILAGRES - ELES, SOMENTE, NÃO PROVAM A VERDADE

A REFORMA E OS MILAGRES – ELES, SOMENTE,  NÃO PROVAM A VERDADE

Em 31 de outubro de 2017 completa-se 500 anos da Reforma Protestante, que se iniciou sob a ação do monge católico Martinho Lutero.

Um dos Pilares da Reforma protestante era Sola Scriptura, ou seja, “somente a Escritura”.
Mas o que o monge Lutero queria dizer com essa frase?

1)      Ele quis dizer que não haveria nenhuma autoridade para o cristão maior do que a Bíblia. Para ele o Papa não era maior do que a Bíblia.
2)      Para ele, somente a Bíblia santifica o homem (Salmo 119.9). Somente a Bíblia é o guia para a salvação da humanidade. A Igreja Católica não tinha poder de salvar o homem.
3)      De acordo com Lutero, todo e qualquer ensinamento, na e para a igreja, deveria ser profundamente enraizado nas Escrituras e não nos dogmas papais.
Milagres que não são coerentes com os ensinos
das Escrituras Sagradas devem ser rejeitados.
4)      Para Lutero, a Bíblia vale mais do que qualquer milagre. É atribuída a ele a seguinte frase: “qualquer ensinamento que não se enquadre na Bíblia deve ser rejeitado mesmo que faça chover milagres todos os dias.” Essa afirmação é muito importante para os dias de hoje, época na qual as pessoas são direcionadas por milagres e milagreiros.



UM CRISTIANISMO DO “RE TE TÉ”

Vivemos, atualmente, um cristianismo do “oba, oba”, do “re te té.” Qualquer evangelista que prometa milagre é facilmente seguido. As igrejas dos “milagres” criam “ruas do sal grosso”, vendem “travesseiros ungidos”, “águas consagradas”, amuletos que, de acordo com elas, produzirão milagres. Eu chamo isso de “ESPIRITISMO EVANGÉLICO”, isso mesmo.

E ACONTECE MILAGRES NESSAS IGREJAS?

Sim. Infelizmente. O diabo age para que as pessoas fiquem longe da Palavra de Deus, não descubram as verdades das Escrituras Sagradas, e por isso ele opera milagres para distrair as pessoas levando-as, dessa maneira, para longe de Deus e de sua verdade. 

MILAGRES, SOMENTE, NÃO PROVAM A VERDADE

Ao rejeitar milagres como critério para provar a veracidade de um ensinamento, Lutero foi coerente com a Bíblia, que, em várias passagens deixam claro que não devemos ser influenciados, somente, pelo sobrenatural, como veremos:
1)      De acordo com Mt. 7.21-23, é possível que pessoas que praticam o pecado, no Cristianismo, usem a bíblia e produzam milagres. Porém elas serão rejeitadas por Deus no julgamento.
2)      Em 2 Co. 11. 14,15 encontramos a informação que satanás se transforma em “anjo de luz” e seus pregadores se disfarçam em “ministros de justiça”, ou seja, falam a verdade, praticam o bem.
3)      1 Jo. 4.1 nos recomenda a provarmos os espíritos para sabermos se são de Deus. João sabia que nem toda influencia espiritual era de origem divina.
4)      Moisés operou milagres da parte de Deus diante de Faraó, e os magos do Egito também operaram milagres, mas da parte de Satanás.

Diante das informações acima, fica claro que Lutero tinha total razão ao rejeitar os ensinos milagrosos que não se enquadrassem nas Escrituras. Ele sabia que milagres não são critérios para a verdade, nem provam a santidade divina.

O QUE FAZER?

Muitos podem perguntar: Mas o que fazer diante de um milagre? Como discernir se é ou não de Deus?

Discernir se um milagre é divino ou não é tarefa difícil para a maioria das pessoas pois lhes faltam conhecimento bíblico, preparo bíblico-teológico. Mesmo quem conhece a Bíblia pode ter dificuldades para fazer esta análise pois o diabo é astuto, perspicaz, inteligentíssimo, além de ser um ser espiritual.
Porém, há vários princípios que nos ajudam a discernir se um milagre, ou uma ação sobrenatural é ou não da parte de Deus.

1)      O Dom de “discernimento de espírito” – Esse é, ao meu ver, um dom que todos os líderes evangélicos deveriam ter. Atualmente a mentira está pintada com “cores” da verdade. Somente através deste dom é possível discernir, racionalmente, a verdadeira natureza por traz de uma ação espiritual.
2)      A BÍBLIA COMO REGRA -  Toda e qualquer ação espiritual, sobrenatural, deve passar pelo crivo da Bíblia. Isso requer profundo conhecimento bíblico e familiaridade das regras da hermenêutica e exegese.
3)      PELO FRUTO CONHECEREIS A ÁRVORE” – (Mt.7.16) – Às vezes é preciso dar tempo ao tempo para que o fruto se evidencie. Isso leva tempo. Por isso, e melhor ação, nesse contexto, é fugir da impulsividade, da análise apressada. Um líder cristão sábio deve ter paciência para não errar na análise pois ele pode referendar algo errado como se fosse de Deus, e pode, também, rejeitar algo de Deus achando que é do diabo.

UM PARENTESE

Precisamos entender que há o Espírito de Deus, o espírito satânico e o espírito humano. Nem tudo que não é de  Deus é do diabo. Pode ser humano. Condenar o humano como se fosse satânico é injustiça, é anular a humanidade.
É preciso que julguemos o humano como humano e o satânico como diabólico. Mais uma vez repito: Isso requer princípios de sabedoria, ações específicas. (falarei sobre isso no meu livro: “Decifrando os segredos da Verdade.”)

4)      O FRUTO DO ESPÍRITO E AS VIRTUDES DA ÉTICA -  É preciso que usemos o fruto do Espírito Santo e as virtudes da Ética como critérios para analisarmos se um milagre é ou não de Deus. Destaco aqui: Paciência, fidelidade, verdade, humildade, temperança, etc.
5)      NÃO SEGUIR AS EMOÇÕES E AS SENSAÇÕES -  Não é porque a pessoa se alegrou, se sentiu bem, que o fenômeno foi de Deus. Bandidos se sentem bem quando obtêm o fruto de suas ações criminosas. Há drogas que produzem boas sensações. Assim, as emoções e o “sentir” não servem para provar se algo é ou não de Deus.

Como podemos perceber, não é tão simples analisar se um milagre é ou não de Deus, porém, para fins práticos, concluo que:

1)      As igrejas que prestigiam os milagres em seus cultos mais do que a Palavra de Deus fogem dos objetivos bíblicos para os cristãos.
2)      Igrejas que valorizam o ter mais o que o ser não estão fazendo a vontade De Deus revelada para a sua igreja no Novo Testamento.
3)      Igrejas que são centralizadas em um homem, um profeta, um “pop star”, um “apóstolo”, não ajudam os crentes a se aproximarem de Cristo e de sua Palavra.
4)      Movimentos que valorizam os “fenômenos sobrenaturais” e os “espetáculos” em seus cultos lutam para segurar os fieis e não para levar as pessoas a Cristo. Isso também é fugir da Palavra de Deus.
5)  O milagre de Deus  não atrai a atenção para um homem. Se as pessoas fazem fila para receber o milagre de uma pessoa, a atenção delas está voltada para a pessoa e não para a Bíblia. Geralmente, a maioria desses "milagreiros" não exigem que as pessoas aprendam da Bíblia. Eles nem seque usam a Bíblia como base de seus ensinos. Por quê? Por que não creem nela? Têm medo de serem desmascarados?
6)    Qualquer milagre que não produza humildade, santidade, amor pela Palavra, etc., deve ser rejeitado por mais espetacular que ele seja.

João Moreno de Souza Filho.
Evangelista, professor e escritor.
Contatos para palestras e seminários:
Zap: (19) 9 8870-0405.
E-mail: jmorenofilho@yahoo.com.br




Nenhum comentário:

QUERO COMPRAR O LIVRO DECIFRANDO OS CÓDIGOS DO MAL

Código para o site