sexta-feira, 29 de julho de 2016

ENQUETE 05 - DEVEMOS SER PERFEITOS? EM QUE ÁREA?



No meu face apresentei a seguinte enquete


ENQUETE 05 Em Mt. 5.48 Jesus disse: “...SEDE PERFEITO, COMO PERFEITO É VOSSO PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS...”
Ora, sabemos que é impossível o homem ser perfeito. Mais impossível, ainda, é ser perfeito como Deus. Diante disso, surge algumas perguntas: Jesus exagerou em sua exigência? Ele errou? Como é possível ser perfeito como Deus? Em que sentido está essa perfeição? SEGUEM, ABAIXO, ALGUMAS ALTERNATIVAS. ESCOLHA A SUA, COMENTE, PARTICIPE. A RESPOSTA FINAL ESTARÁ NO MEU BLOG. 
ABRAÇOS.
Prof. João Moreno.
1) Jesus exagerou, foi uma Hipérbole. 
2) Jesus foi exato em suas palavras. É PARA SERMOS PERFEITOS COMO DEUS, NÃO IMPORTA SE SOMOS HUMANOS. 
3) Jesus se enganou. 
4) Não era isso que Jesus queria dizer. Os discípulos erraram ao interpretar equivocadamente o que Jesus tinha dito.
5) Foi erro de tradução.
6) Não sei. Quero aprender.

Agora vamos ao artigo sobre a enquete:

 A PERFEIÇÃO QUE JESUS REQUER DE NÓS

     Em Mt. 5.48 encontramos a seguinte declaração de Jesus: “Sede vós, pois, perfeitos, como perfeito é vosso Pai celestial.”
     Esse mandamento é muito forte, principalmente para os padrões humanos, pois, não existe homem perfeito, logo, pela lógica, é impossível sermos perfeitos como Deus. Diante disso, surgem algumas dúvidas, alguns questionamentos, e alguns posicionamentos, que serão elencados, abaixo.

I)                   O PENSAMENTO DOS PURITANOS RADICAIS Os puritanos radicais abraçam, de maneira plena, a palavra “perfeição”, e exigem de si, e dos outros, uma perfeição absoluta em todos os aspectos: moral, religioso, familiar, etc. Eles não aceitam qualquer tipo de erro.

O PROBLEMA DO PURITANISMO RADICAL -  O puritano radical (fanático), descobrirá, com o tempo, que ele mesmo é imperfeito, que não atingirá a perfeição que idealizou.  Diante disso eles podem:

1)      Fingir que são perfeitos, na igreja, e tolerar seus atos pecaminosos. Vivem uma vida dupla, de fingimento, de hipocrisia.

2)      “chutar o balde”, abandonar o padrão de perfeição idealizado, e passar a viver o oposto: o liberalismo ético.


II)                OS “SÁBIOS” AOS SEUS PRÓPRIOS OLHOS -  

Há pessoas que se acham mais sábias do que Jesus, do que os apóstolos. Elas têm a coragem de
 afirmar o que o texto não afirma. Vão além dos pensamentos ditos por Jesus e pelos apóstolos, o que é
desrespeito à todos os princípios da Hermenêutica.
     Esse grupo de pessoas afirmam, de maneira convicta, que Jesus não quis falar em perfeição, no sentido absoluto, mas, sim, no sentido relativo. Logo, não devemos nos preocupar em sermos perfeitos.  Ora, aqui faço uma pergunta: ONDE ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA QUE JESUS FALOU EM PERFEIÇÃO RELATIVA? QUAL APÓSTOLO DEFENDEU ESSA IDEIA? SE É RELATIVA, DEIXOU DE SER PERFEIÇÃO!

III)             O IDEAL DA PERFEIÇÃO - OS CONCILIADORES -  Para acalmar os ânimos, surgem, no debate, os conciliadores, que, com seus conhecimentos do grego, da exegese, afirmam que Jesus apresentou “um ideal de perfeição”.  Para eles, os cristãos devem lutar por esse ideal, porém a perfeição, real, só acontecerá na vida futura, com a glorificação.

       O PROBLEMA DO “IDEAL DE PERFEIÇÃO” – Esse pensamento enfrenta alguns problemas, a saber:
1)      Se a perfeição que Jesus falou, é um ideal, é algo que acontecerá somente na vida futura, então Jesus se equivocou ou nos enganou.
2)      Ao analisarmos o conjunto frasal, observamos, de maneira clara, que não há, nas palavras de Cristo, nenhum indicativo de que a perfeição que ele exigiu, será real, somente na eternidade.
3)      Jesus foi bem claro: “SEDE VÓS...” Ele se dirigiu a pessoas reais, de carne e osso, que viviam no seu momento histórico. Ele não disse: “lutem para alcançarem a perfeição na vida porvir”, não. Ele falou: “sede”. É uma recomendação para a vida presente.

Como podemos perceber,  nas 3 linhas de pensamentos, apresentadas acima, há problemas de entendimento sobre o que Jesus realmente quis dizer com a palavra “perfeitos”, “téleioi”, no grego. É a partir deste ponto que começo a analisar o pensamento de Jesus.

IV)               O QUE JESUS QUIS DIZER COM A PALAVRA “PERFEIÇÃO”?

Meu objetivo, aqui, não é analisar a palavra perfeição, no original. Meu propósito é entender o pensamento de Jesus sobre a perfeição. Para isso, usarei as segunda e terceira regras da Hermenêutica. A segunda regra diz:  “Sempre se deve tomar as palavras bíblicas no sentido indicado pelo conjunto da frase”,  e a terceira regra ensina: “Sempre se deve consultar o contexto, isto é, os versículos ou capítulos que precedem e seguem o trecho em questão,” (Doris Lemos, Ruth, Hermenêutica: Interpretando as Escrituras Sagradas, Pindamonhangaba: IBAD, 2010).

1)      O QUE JESUS NÃO EXIGE DE NÓS?
Primeiro, vamos descobrir o que Jesus não quis dizer com a palavra “perfeição” nem o que ele exige de nós ao usar “téleioi”. Isso é muito importante, pois ao descobrirmos o que Deus não exige de nós, anulamos todo e qualquer tido de radicalismo e de fanatismo religioso.

A)     JESUS NÃO EXIGE QUE TENHAMOS UMA FAMÍLIA PERFEITA – Se essa exigência estivesse implícita nas palavras de Jesus, Ele teria que dar explicação sobre a salvação de Davi, que, mesmo tendo uma família desestruturada, foi chamado, por Deus, de “homem segundo o meu coração”.

B)      JESUS NÃO EXIGE QUE SEJAMOS PERFEITOS NO TEMPERAMENTO -  Se Ele exigisse perfeição de temperamento, Ele deveria ter rejeitado Pedro, Paulo, pessoas impulsivas. Pedro,  pediu para Jesus não ir à cruz. Paulo, em sua impulsividade colérica, abandonou, na sua segunda viagem missionária, João Marcos. Ele poderia ter dado uma chance ao jovem Marcos, mas, magoado, ele preferiu rejeitá-lo.  (sobre isso falarei em temas futuros sobre como Deus restaura um obreiro que foi abandonado, que foi colocado na “geladeira ministerial”, que não é de Deus nem bíblica).

C)      JESUS NÃO EXIGE QUE SEJAMOS PERFEITOS NA FORÇA, DIANTE DOS DESAFIOS -  Se essa fosse a exigência de Cristo, Elias estaria fora dos padrões de Deus, foi enfraqueceu-se, pediu a morte, entrou em depressão. (Falarei sobre Elias no livro:                CUIDADO DE PASTORES: COMO DEUS RESTAURA OS OBREIROS EM CRISE).

D)     JESUS NÃO EXIGE QUE SEJAMOS PERFEITOS NA SANTIDADE -  Isso é muito importante. Jesus exige que sejamos santos, mas não “perfeitos em santidade”. Se essa fosse a exigência, Paulo estaria longe dos padrões divinos, pois ele mesmo falou: “O bem que quero fazer, não faço, e o mal que não quero fazer, faço.” Santidade é uma posição em Cristo. Em Cristo somos santos. Nele fomos “separados”, santificados para ele mesmo. Mas isso não quer dizer que somos perfeitos.
Diante das minhas declarações acima, alguém pode gritar: “ENTÃO, QUAL É A PERFEIÇÃO QUE JESUS REQUER DE NÓS?” SE NÃO É PARA SERMOS PERFEITOS, POR QUE ELE, CRISTO, USOU A PALAVRA PERFEIÇÃO? Calma, calma. Vamos devagar que o santo é de barro.

2)      QUAL É A PERFEIÇÃO QUE JESUS REQUER DE SEUS SERVOS? Usando a
segunda e a terceira regras da Hermenêutica, é fácil descobrir em qual área Jesus exige que sejamos perfeitos.

“VÓS” -  O vós, de Cristo, no grego, é enfático, e é usado como uma antítese ao que se era ensinado ao povo.  Ele estava, portanto, mostrando a diferença que deveria haver em seus seguidores.

                MT. 5.43 -  Jesus começou a preparar o terreno no versículo 43, ao afirmar: “Ouvistes o que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo.” Jesus quis desfazer desse ensino e estabelecer o seu, e o fez, com muita propriedade no v. 44: “EU, PORÉM, VOS DIGO: AMAIS AOS VOSSOS INIMIGOS, E ORAI PELOS QUE VOS PERSEGUEM.”  No versículo 45 ele foi mais forte, ainda: “PARA QUE VOS TORNEIS FILHOS DO VOSSO PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS, “, ou seja, quem não ama, quem não perdoa, nunca será filho de Deus.

                O TEMA DO CONTEXTO Observamos, de maneira clara, que Jesus está falando sobre amor, perdão. E, no versículo 48 ele concluiu o seu pensamento: “SEDE VÓS, POIS, PERFEITOS, COMO É PERFEITO O VOSSO PAI CELESTIAL.”

                Vemos, de maneira clara, que o que Jesus requer, de nós, é:

PERFEIÇÃO NO AMOR, NO PERDÃO.

         Sobre isso, posso afirmar: O crente pode ser certo em tudo: na liturgia, na família, no temperamento, porém, SE ELE NÃO AMA, NÃO PERDOA, É IMPERFEITO.

         DEUS NÃO ACEITA MEIO TERMO -  Na área do amor e do perdão, Deus não aceita meio termo. Ele exige perfeição absoluta, total. Vejamos os pontos abaixo:

1)      Sem perdão ninguém irá ao céu – Na oração do “Pai Nosso”, em Mt. 6. 13,14, Jesus deixou claro, que quem não perdoa jamais será perdoado por Deus.
2)      O AMOR GERA A PERFEIÇÃO – Para Deus, a perfeição não está na humanidade, mas sim, no amor. Isto está claro em Cl. 3.14: “Revesti-vos de AMOR, QUE É O VÍNCULO DA PERFEIÇÃO.”  Mesmo se houver falhas humanas, na igreja, se houver o amor, ali está a perfeição que Jesus requer, pois através dele é possível perdoar, esquecer as falhas.

Diante disso, acertaram, na enquete, no meu face, os participantes: Luigi Bonaita, André Gabi Davi, Adriano Ferreira, Manassés Moreno, Azenate Basílio.

Sobre as participações, a professora de grego e exegese da Esteadebe, da AD. De Recife, PE, falou:   

      “Realmente, o texto fala de “perfeição em amor”, como completa Cl.3:14 – “... revesti-vos de amor,          que é o vínculo da perfeição”! Porém, em Mt. 5:48 o verbo não se constitui numa ordem, mas numa            exortação enfática, ou melhor dizendo, num chamamento a uma vida de santidade e perfeição em amor,        como o próprio Deus o é, em Sua essência e substância! ...É neste sentido que Ele nos exorta!                    Portanto, como imitadores de Deus, devemos perseguir este plano da perfeição de Cristo, sendo                   benevolentes (Mt.19:21), amorosos (Cl.3:14), praticantes das boas obras (Tg. 2:22), moderados no             falar (Tg. 3:2) e obedientes à Palavra da verdade (I Jo. 2:5. 4:12).”

            Ao descobrirmos que Jesus requer perfeição em amor, anulamos todo o radicalismo religioso que requer que sejamos perfeitos em tudo. Isso é impossível, afinal somos humanos.

            Concluo com o texto de Miquéias 6.8, cujo conteúdo deixa claro que Deus exige perfeição em amor:

            “Ele te declarou, ó homem, o que é bom, , e o que é que o 

Senhor pede de ti, senão que PRATIQUES A JUSTIÇA, AMES A

 MISERICÓRDIA E ANDES HUMILDEMENTE COM O TEU 

DEUS.”

           

Nunca, mas nunca mesmo deixe de ler as enquetes abaixo. É só clickar nos links


ENQUETE 04 - A TRISTEZA JAMAIS SALTARÁ DE ALEGRIA PERANTE DEUS. ISSO É IMPOSSÍVEL

ENQUETE 03 - A BÍBLIA FECHADA NÃO É UM LIVRO COMUM

TODAS AS ENQUETES


 Um abraço a todos. Até a próxima.

            Prof. João Moreno S. Filho.
Contatos para palestras, simpósios, seminários, pregações:


Zap - (19) 9 8324-6484.

Nenhum comentário:

QUERO COMPRAR O LIVRO DECIFRANDO OS CÓDIGOS DO MAL

Código para o site