quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A REFORMA DA REFORMA


Hoje, o mundo cristão, especialmente o mundo evangélico, comemora o dia da REFORMA PROTESTANTE, dia no qual o desconhecido monge MARTINHO LUTERO afixou, suas 95 Teses na porta da Catedral de Wittemberg, na Alemanha, precisamente em 31 de outubro de 1517.

Não querendo criticar a Igreja Católica, de hoje, religião na qual tenho muitos amigos sinceros, tementes a Deus, mostrarei, a seguir, que em suas teses Lutero:

1) se posicionava contra a VENDA DE INDULGÊNCIAS PARA A SALVAÇÃO;

2) foi claro ao afirmar que as pessoas NÃO PRECISAVAM DE UM SACERDOTE PARA SER MEDIADOR ENTRE ELAS E DEUS, na verdade, o RELACIONAMENTO COM DEUS É DIRETO, PARTICULAR;

3) FEZ UMA RUPTURA ENTRE O PODER RELIGIOSO E O POLÍTICO, na verdade, ele inaugurou uma nova igreja livre das tradições e da influência política da religião católica da época.

4) Inaugurou um caminho para que toda a população tivesse acesso à Bíblia Sagrada, livro no qual os cristãos poderiam confrontar as “verdades” religiosas pregadas. Por isso que até hoje é costume dos evangélicos levar bíblia para o culto. Ir à igreja sem bíblia é SINÔNIMO DE DESRESPEITO À PALAVRA DE DEUS E Á PRÓPRIA LITURGIA.

5) Etc.

Passaram-se mais de 500 anos da Reforma de Lutero, e olhando para o cenário evangélico, VEJO QUE HOJE, AS IGREJAS EVANGÉLICAS ESTÃO QUASE IGUAL À IGREJA CATÓLICA DO SÉCULO XVI. Vejam os motivos.

1) COBRANÇA PELAS BENÇÃOS DIVINAS - Elas não vendem indulgência, mas muitas delas “cobram” pelas bênçãos. Dizem, seus “pastores”: Quanto mais você der dinheiro, mas abençoado vc. Será. E O povo, que não confronta os ensinos com a bíblia, é enganados.

2) A POLITIZAÇÃO DA IGREJA - Elas não TÊM O PODER POLÍTICO, porém, muitas delas agem COMO SE FOSSEM PARTIDOS POLÍTICOS, PIOR, muitas delas, EM NOME DE DEUS, têm a coragem de implantar PARTIDO POLÍTICO EM REUNIÃO DE OBREIROS, como se fosse a maior vontade de Deus para uma reunião ministerial. TUDO ISSO EM NOME DA AUTORIDADE MINISTERIAL, EM NOME DA SANTIDADE DE DEUS. Há igrejas que usam seus templos como base de partido, em época de campanha eleitoral. Bom, precisamos saber se Deus concorda com isso.

3) PAPAS EVANGÉLICOS - Elas não têm um PAPA, mas muitos pastores agem como se fossem mini-papas. Eles são inquestionáveis, não erram, e quem se posiciona é considerado como “REBELDE”. Ou seja, hoje, ser rebelde não é CONTRADIZER A BÍBLIA, mas CONTRADIZER A AUTORIDADE MINISTERIAL, MESMO QUE ELA ESTEJA ERRADA. Isso é papado em gral elevado, mas, em nome de Deus e com a vestidura evangélica.

4) O SILÊNCIO DA VERDADE – Os cristãos do século XVI não criticavam o PAPA, pois ele era, de acordo com a teologia católica, “o representante de Deus”, logo, criticar o papa era o mesmo que ofender Deus. Essa cultura silenciou os cristãos. Isso acontece hoje em muitas igrejas evangélicas. Quem critica um pastor por seus atos errados, é tido como UM REBELDE, ou seja, a rebeldia que TEOLOGICAMENTE FALANDO É IR CONTRA OS PRINCÍPIOS BÍBLICOS E MINISTERIAIS, hoje, é, tal como nos tempos de Lutero, interpretada como critica à autoridade. BASEADA NESTA INTERPRETAÇÃO O PAPA PERSEGUIU LUTERO. BASEADOS NESSA INTERPRETAÇÃO, MUITOS PASTORES EVANGÉLICOS USAM SEU PODER PARA SILENCIAR PROFETAS DE DEUS.

5) MORTE AOS PROFETAS – A Igreja católica mandou matar Lutero, e matou e perseguiu muitos outros pré-reformadores como Savanarola, John Huss. Hoje acontece o mesmo em muitas igrejas evangélicas. QUEM SE SILENCIA DIANTE DOS ERROS DE MUITOS PASTORES, é aproveitado, tem oportunidade, NÃO IMPORTA SE TEM CHAMADA  MINISTERIAL E TALENTO. Quem se posiciona contra erros, é ENCOSTADO, PERSEGUIDO, INGNORADO, ISSO É UMA FORMA DE MATAR UM MINISTRO DE DEUS.

6) OS BENEFÍCIOS DO PODER EM NOME DE DEUS - No tempo de Lutero os papas e os bispos viviam em verdadeiro luxo. Toneladas de ouro ornavam os templos, etc, etc. Não é diferente hoje em muitas igrejas evangélicas, nas quais pastores VIVEM COMO EMPRESÁRIOS, ganham mais do que DEPUTADOS E SENADORES, E ATÉ DO QUE A PRESIDENTE DA REPÚBLICA, tudo em nome de Deus e do silêncios dos membros dessas igrejas. Muitos pastores vivem em condomínio de luxo, e ainda pregam a humildade para um povo que sustenta esses desmandos. Isso eu chamo de HIPOCRISIA PURA. Muitos pastores usam suas posições para se TORNAREM EMPRSÁRIOS, COMERCIANTE. Usam suas influências para serem abençoados financeiramente. Jesus não ensinou isso NEM OS APÓSTOLOS VIVERAM COMO ELES VIVEM. COMO ELES PODEM INFLUENCIAR OS MINISTROS A VIVEREM DO MINISTÉRIO SE ELES USAM SUAS POSIÇÕES PARA TEREM BENEFÍCIOS POLÍTICOS E FINANCEIROS?

7) PERTO DO PAPA, PERTO DA RIQUEZA – Nos dias de Lutero, quem estava próximo ao PAPA, quem se calava diante dos desmandos políticos e morais do papado, tinha todos os benefícios das ofertas do povo. Vivia no luxo. Hoje, nas igrejas evangélicas, é só ser filho de pastor, que terá o futuro garantido; basta se calar diante dos erros, que terá a posição garantida; é só se silenciar, que terá o salário, garantindo, não importa em muitas igrejas, se toma uma cervejinha, ou se fuma uma vez ou outra. BASTA ESTAR PRÓXIMO DO PODER. O contrário acontece com quem tem posicionamentos firmes a favor da verdade, contra o erro. OU seja, hoje, não se valoriza o ministério pela prédica, pelo posicionamento em favor da verdade, mas pelo posicionamento que terá diante do poder. Silêncio e concordância, parentesco, são sinônimo de “benção de Deus”.

8) A HIERARQUIZAÇÃO DA VERDADE - O PAPA, NO TEMPO DE LUTERO, não aceitava nenhuma crítica de pessoas que estivesse abaixo dele. Isso acontece no evangelicalismo, hoje. Aconteceu comigo, em 2005. Nesta época eu enviei, para todos os pastores presidentes das convenções ligadas à CGADB, um artigo com o título: A POLÍTICA X O SAGRADO: Colocar o Humano no Sagrado é Profanar o Sagrado. Um pastor, amigo meu, disse para mim: “olha, eu, na minha posição, não tenho coragem de falar o que você disse. É preciso estar em uma posição ministerial para ser ouvido.” Quase que eu dizia para ele: É por isso que há muitos erros, porque você poderia agir como profeta, mas em nome de sua posição, DO SEU CONFORTO, SE CALA.

9) A RELATIVIZAÇÃO DA ÉTICA – A Ética no tempo de Lutero estava sendo relativizada pela autoridade religiosa católica. Hoje, em muitas igrejas, pastores relativizam a ética; criam caixa 2; sonegam impostos; não declaram todos os seus ganhos à Receita Federal. SE EU TIVER ALGUMA PROVA DISSO, PRÓXIMO A MIM, EU DENUNCIAREI. Talvez por isso eles não me querem perto deles, PORQUE PARA MUITOS DELES NÃO IMPORTA O SEU CONHECIMENTO BÍBLICO, SEU TALENTO, mas o seu comportamento diante do poder: Se você procura fazer tudo certo e de maneira justa, ou se você se silencia. ISSO É FRUTO DA PARTIDARIZAÇÃO DE MUITAS IGREJAS, que falarei no próximo tópico.

10) A PARTIDARIZAÇÃO E A POLITICAGEM NAS IGREJAS EVANGÉLICAS – Quando um líder religioso toma partido de algum tema ou situação, ele, naturalmente, LEVANTARÁ OPOSIÇÃO POLÍTICA DAQUELES, NA IGREJA, QUE TÊM OUTRA VISÃO . Isso é aceitável quando a posição é EM FAVOR DA VERDADE E DA ÉTICA, porém, quando isso se direciona a um partido específico, ou a um grupo específico, ISSO GERA DIVISÃO NA IGREJA, E A FUNÇÃO DO PASTOR, EM SUA POSIÇÃO MINISTERIAL, É SER PASTOR, PASTOREAR A TODOS. Dividirei este tema em dois para melhor compreensão didática.

a. A PARTIDARIZAÇÃO POLÍTICA – Nas igrejas evangélicas há pessoas de diversas correntes políticas. O PASTOR DEVE PASTOREAR AS ALMAS DE TODOS. Porém, em época de campanha eleitoral, muitos pastores agem mais COMO PRESIDENTE S DE PARTIDOS do que como pastores. Eles não aceitam o contraditório, eles agem como que se DEUS TIVESSE UNGIDO ELES COMO PASTORES, PAR A DIRECIONAREM, PARTIDARIAMENTE, O POVO DE CRISTO. Isso é um GRANDE ERRO, pois a UNÇÃO PASTORAL TEM OBJETIVOS ESPECÍFICOS, O QUE FOGE DOS OBJETIVOS BÍBLICOS, SÃO OBJETIVOS INSTITUCIONAIS E DENOMINACIONAS, E ELES NÃO PODEM SE SOBREPOR AOS OBJETIVOS BÍBLCOS PARA O MINISTÉRIO PASTORAL.

b. A PARTIDARIZAÇÃO MINISTERIAL – Essa é PIOR DO QUE A PARTIDARIAÇÃO POLÍTICA, pois divide o próprio ministério E GERA CONSEQUÊNCIAS CATASTRÓFICAS NA IGREJA. Isso acontece, hoje, CLARAMENTE, NA CGADB, convenção da qual eu sou membro. HÁ DOIS GRANDES GRUPOS: O grupo do pastor José Wellington Bezerra da Costa, GRANDE HOMEM DE DEUS, e o grupo do pastor Samuel Câmara, outro GRANDE HOMEM DE DEUS.

Os dois têm história, ação em favor do povo, são pastores dinâmicos, porém muitos dos que defendem o pastor José Wellington como Presidente da CGADB não reconhecem os pontos positivos do pastor Samuel Câmara. muitos (eu disse muitos,  não todos) dos que estão do lado do pastor Samuel Câmara, também não exaltam os pontos positivos do pastor José Wellington. ASSIM, A CONVENÇÃO ESTÁ DIVIDIDA EM DUAS, E EM SUAS REUNIÕES  PRINCIPAIS, o maior ato, não são os estudos bíblicos, os direcionamentos evangelísticos para a igreja Assembléia de Deus no Brasil, MAS A ELEIÇÃO DA MESA DIRETORA.

Isso é tão real, que a eleição é sempre deixada para o final, e após ela, a maioria dos ministros já estão prontos para voltarem para suas cidades. Penso que se a eleição fosse no primeiro dia, NÃO HAVERIA MINISTROS NO ÚLTIMO DIA.

Tudo isso se dá por causa da PARTIDARIZAÇÃO MINISTERIAL. Por causa dela, gasta-se milhões em passagens aéreas, comida, hospedagem, só para garantir o voto. OBJETIVOS MINISTERIAIS REAIS PASSAM LONGE DE MUITOS PASTORES QUE SÓ MIRAM O PODER.

Acredito que haverá pessoas que me criticarão por esse artigo, MAS EU ESTOU ABERTO ÀS CRÍTICAS, DESDE QUE ELAS SEJAM BÍBLICAS, OU SEJA, SE ME PROVAREM QUE EU ESTOU ERRADO, NA BÍBLIA, QUE A PARTIDARIZAÇÃO POLÍTICA E MINISTERIAL É VONTADE DE DEUS; SE ME PROVAREM QUE DEUS QUER QUE OS PASTORES VIVAM COMO EMPRESÁRIOS, ENQUANTO QUE AQUELES QUE SE POSICIONAM PASSEM A CATAR LATINHA PARA SOBREVIVER, COMO DIZEM ALGUNS PASTORES QUE VIVEM MUITO BEM, SE ME PROVAREM ISSO NA BÍBLIA, EU ME RETRATEREI.

Eu sei também que alguns dirão que eu não deveria me posicionar, NA INTERNET. Bem, onde deveria me posicionar? Na casa dos meus críticos? Seria considerada, esta atitude,  rebelião pelos próprios críticos. Na igreja? Será que os pastores abririam os púlpitos para eu fazer esta crítica? Duvido, hoje, só tem valor, no mundo evangélico, pregador que faz o povo chorar, pular, SENTIR A GLÓRIA, isso é o que tem valor na maioria dos púlpitos evangélicos.

Lembro que Martinho Lutero se POSICIONOU PUBLICAMENTE, OS PROFETAS VETERO-TESTAMENTARIO TAMBÉM SE POSIONAVAM CONTRA OS REIS, OS PROFETAS FALSOS E ATÉ CONTRA OS SACERDOTES (MINISTROS NA ÉPOCA), NAS PRAÇAS PÚBLICAS. QUALQUER POSICIONAMENTO EM FAVOR DA VERDADE QUE NÃO SEJA PÚBLICO DEVE SER QUESTIONADO.

Por tudo que escrevi acima digo que AS IGREJAS EVANGÉLICAS PRECISAM DE UMA REFORMA DA REFORMA, UMA REFORMA RADICAL, que mude a estrutura de relacionamento entre os ministros, que levem os membros a valorizarem mais a Deus do que as instituições. Nessa reforma é necessário lembrar que DEUS NÃO VALORIZA INSTITUIÇÃO RELIGIOSA. É só olhar para o Templo, QUE ELE MESMO CONSAGROU, que foi entregue, pelo próprio ALTÍSSIMO, aos pagãos.

DEUS VALORIZA PESSOAS, VIDAS NO ALTAR, HUMILHAÇÃO, SANTIDADE, VIRTUDES MINISTERIAIS E BÍBLICAS. Essas coisas têm mais valor do que as instituições religiosas e suas tradições.

Parto para a conclusão dizendo que, todos os que são beneficiados por um sistema, jamais aceitarão críticas ao sistema, pois a desconstrução deste sistema implica em prejuízos para eles.

Concluo com um texto bíblico, que revela os MAIORES OBJETIVOS DO CRISTIANISMO:

EFÉSIOS 3:16-21

“Oro para que, segundo as RIQUEZAS DE SUA GLÓRIA, vos conceda que sejais fortalecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior, para que Cristo habite pela fé nos vossos corações. E oro para que, estando arraigados e fundamentados em amor, possais perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo...a ele seja a glória, na igreja, e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo sempre, amém.”

SOMENTE ATINGINDO OS OBJETIVOS DO TEXTO ACIMA PODEMOS REFORMAR A REFORMA E COLOCAREMOS O IDEAL MINISTERIAL ACIMA DO IDEAL POLÍTICO E PARTIDÁRIO, PESSOAL E INSTITUCIONAL.

obs. Essas minhas críticas não se direcionam a uma igreja específica. Hà centenas delas, muitas delas neo-pentencostais, que pisam na ética evangélica tradicional que existe há séculos, que não observam o exemplo das igrejas tradicionais e históricas, que QUEREM TRAZER O VELHO TESTAMENTO PARA OS DIAS DE HOJE, QUE USAM PRÁTICAS ESPÍRITAS EM SEUS RITUAIS, COMO POR EXEMPLO, PISAR NO SAL, PASSAR POR PORTAIS ESPIRITUAIS, ETC.

João Moreno de Souza Filho.
Evangelista CGADB.
Prof. de Teologia.
Escritor.
Jornalista.
Psicopedagogo.

Nenhum comentário:

QUERO COMPRAR O LIVRO DECIFRANDO OS CÓDIGOS DO MAL

Código para o site